);

Em diferentes momentos diferentes palavras pairam nos meus “pensamentos”. Adoro brincar com as palavras, com os seus significados, com o que me fazem pensar, sentir e fazer. Neste momento, a palavra presente é coragem.

A palavra coragem tem origem no latim coraticum, um termo composto por cor, que significa coração, e o sufixo aticum, utilizado para indicar uma ação referente ao radical anterior. Coraticum significa, então, literalmente, uma ação do coração.

Acho engraçado que não podemos ter coragem sem ter medo. O medo é um ingrediente essencial no encontro com a coragem. Sem medo, não precisamos da coragem. Muitas vezes quando pensamos em coragem pensamos em atos e feitos grandes. Assim de repente lembro-me do Alex Honnold que escalou os mais de 900 metros do El Capitan uma formação rochosa de granito no Vale de Yosemite (EUA) – em free solo, ou seja, sem a ajuda de cordas, parceiros ou equipamentos de proteção. Certamente precisou de montanhas de coragem… Mas não é desse tipo de coragem que quero falar hoje. Pois para a maioria de nós, o medo seria tão grande e paralisador numa situação daquelas que não haveria coragem que nos pudesse salvar. Estes atos grandiosos de coragem não refletem a experiência de vida da maioria de nós.

Ter coragem não significa não ter medo, não significa não sentir ansiedade, significa que temos valores presentes no nosso coração que se tornam mais fortes do que o medo e a ansiedade. Circunstâncias extremas, perigos iminentes e catástrofes, muitas vezes dão nós um acesso direto à coragem. Mas a verdade é que nos necessitamos de coragem- de ação do coração- todos os dias, e não apenas em circunstâncias extremas.

Decidir ser mãe ou pai requer coragem. Ser uma mãe ou um pai consciente requer coragem. Conseguir ser um bom companheiro, um bom amigo, um bom colaborador, requer coragem. Conseguir mudar hábitos ou criar hábitos novos, saber dar e receber feedback, falar sobre as nossas emoções e as nossas necessidades, sentir as nossas emoções, pedir desculpa, amar incondicionalmente – exige tudo c o r a g e m.

E nos podemos encontrar a nossa coragem dentro de nós, ela está lá e podemos treinar o nosso acesso a ela. Em primeiro lugar temos de ganhar clareza em relação aos nossos valores e as nossas intenções. A coragem é o resultado de escolhas intencionais de acordo com o que está no nosso coração, apesar da opinião dos outros, apesar de críticas, apesar do medo.

É por isso que a prática e parentalidade consciente para muitos requer tanta coragem. É por isso que pode ser precisa imensa coragem para fazer escolhas fora da norma no que diz respeito a relacionamentos. Mas a recompensa do uso da nossa coragem é inestimável, a recompensa é um encontro com nós mesmas, com o nosso verdadeiro Eu. E provavelmente, o maior ato de coragem é mesmo termos coragem de ser quem realmente somos.

 

Consegues adivinhar o tema do próximo episódio do Podcast Inspiração para uma Vida Mágica?

X