);
Sara era uma menina pequena… em altura, mas grande na mente! Ela andava na segunda classe e tinha pais extremamente exigentes. Desejavam sempre o melhor para a filha, e sabiam que estudar e ter sucesso escolar é extremamente importante nos dias de hoje. Mas a Sara, para desagrado dos pais, tinha alguns problemas na escola. Os pais tentavam de tudo, castigos…. “Se não tiveres boas notas não podes ter à boneca que pediste!” E prémios…. “Se tiveres boas notas damos-te a boneca que pediste!”. Mas quanto mais recompensas, e quanto mais castigos, mais a Sara se distanciava do trabalho na escola. A cada dia que passava parecia menos motivada e ainda por cima começou a perturbar as próprias aulas.

Um dia, porém, a Sara chegou da escola com um grande sorriso nos lábios. Sentou-se logo para fazer os trabalhos de casa e os pais olharam para a menina estupefactos. Na manhã seguinte, a Sara levantou-se sozinha e estava preparada para ir para a escola antes dos outros membros da família. Os pais resolveram não comentar nada, aliás achavam que aquilo ia provavelmente passar. Já tinham existido outras vezes, no passado, em que coisas parecidas tinham acontecido e os pais tinham dificuldade em acreditar que esta situação fosse duradoura. Mas passaram duas semanas e a motivação da Sara manteve-se, e os resultados na escola começaram a aparecer!

Nessa altura, os pais da Sara tiveram uma reunião com a professora onde ela não poupou elogios à pequena. A Sara estava a fazer grandes progressos! A Sara até se tinha revelado uma menina muito inteligente!… “É tudo muito mais fácil agora que a Sara anda tão motivada”, dizia a professora. “E claro tem muito a ver com o facto de a Sara gostar muito do novo professor de apoio com quem ela tem passado bastante tempo.” Os pais pediram para conhecer a pessoa que tinha ajudado a filha a encontrar a motivação e a professora levou-os até ele. E quando o cumprimentaram, descobriram com espanto, que era mudo.

– Mas como é que este senhor pode ser professor quando não consegue falar?! exclamou o pai
– Porque ele consegue ouvir! respondeu a Sara.

X